| 
  • If you are citizen of an European Union member nation, you may not use this service unless you are at least 16 years old.

  • Buried in cloud files? We can help with Spring cleaning!

    Whether you use Dropbox, Drive, G-Suite, OneDrive, Gmail, Slack, Notion, or all of the above, Dokkio will organize your files for you. Try Dokkio (from the makers of PBworks) for free today.

  • Dokkio (from the makers of PBworks) was #2 on Product Hunt! Check out what people are saying by clicking here.

View
 

1953

Page history last edited by PBworks 14 years ago

Por Marina Lang 

 

1953. O fim das Grandes Guerras deixa o mundo mergulhado na desilusão – e no homem à procura de si mesmo. Há dez anos exatos o filósofo francês Jean-Paul Sartre já conclamara a liberdade por meio da consciência, e apontara para o indivíduo enquanto construtor do seu próprio destino; a fome, as guerras, Deus e o Diabo não assustam mais. A franca discordância entre ele e Albert Camus se solidificava, enquanto o primeiro ignorava as atrocidades dos campos soviéticos, também conhecidos como Gulags, e do fuzilamento de trabalhadores alemães em Berlim, justamente em 1953; e Camus, por sua vez, agia com abnegação em relação ao colonialismo francês de atrocidades na Indochina e, posteriormente, na Argélia.

Alheia aos conflitos europeus, a América celebra a época em que a escassez é francamente substituída pela fartura. O fim do racionamento faz com que todos os produtos até então dispensáveis surjam a todo o vapor: grandes grifes surgem para fazer a alta costura prosperar, e a indústria de cosméticos cresce vertiginosamente. A silhueta acinturada, feminina, e maquiagens como rímel, delineador e batom aparecem nas divas do cinema. A difusão do american-way-of-life está nas telas, na imprensa, nas ruas, nos países periféricos. O dinheiro é a regra e, nos anos seguintes, os músicos brancos serão os seus profetas.

No Sul e no Norte dos EUA, onde a alienação às grandes metrópoles sempre foi característica, negros e caipiras faziam bailes ou botecavam em porões com instrumentos originários das celebrações cristãs das igrejas. O jazz já acontecia naquela sinestesia de som, atitude, corpo e alma. Algo que vai além da articulação das palavras, ou, nas palavras de Louis Armstrong, "se você precisa perguntar, então nunca vai saber". O jovem Clifford Brown compõe a belíssima "Easy Living" aos 22 anos, e morre por uma estupidez da vida três anos depois disso. As grandes cantoras negras como Big Mama Thornton alçam o blues às grandes paradas de sucesso. Fats Domino e Billy Ward & The Dominoes mesclam o gospel com a irreverência e bom-humor do sul dos EUA. O cowboy autêntico e pré-punk Hank Willians mostra seu western soul com todo o estilo no ano em que viria a morrer. Os grandes músicos nem tão famosos assim, como Joe Turner ou Earl Johnson, já dão os elementos essenciais daquilo que, mais tarde, se convencionaria como rock'n'roll. Bill Halley & His Comets mostram que leram toda a cartilha, e lançam seus primeiros hits.

No Brasil, o samba, o samba de marcha e o choro marcam a rítmica e a poesia das cidades. Isaurinha Garcia (que não entrou na coleta por estar em uma fase MUITO dor-de-cotovelo), ainda encanta como intérprete em 1953. O lendário Vadico, maloqueiro e parceiro de Noel Rosa e compositor dos desenhos do Zé Carioca na Disney, monta sua banda Os Copacabana (sic), e compõe peças primorosas. Heitor Villa-Lobos se reestabelecia de um câncer e compunha vigorosamente – também não entrou na lista, infelizmente.

Demorei um pouco para entregar e tudo, devido ao excesso de pressões no trabalho. Tomei a liberdade de repetir alguns artistas, uma vez que as gravações são jóias raras do r'n'b época. Na realidade, só comecei a montar a coleta na terça-feira, aos poucos. E ficou isso, samba-choro-jazz-soul-blues-rock. A capa foi feita em Paintbrush, porque não tenho Photoshop instalado no notebook ainda. Pra próxima, já vou ter. Enjoy it.

 

http://www.mediafire.com/?zhhbfmm31dh

 

01 – Carmen Costa e Colé – Cachaça

02 – Clifford Brown – Easy Living

03 – Dircinha Batista – Máscara na Face

04 – Os Copacabana – A little more of your amor

05 – Dinah Washington – Feel Like I Wanna Cry

06 – Miles Davis – Miles Ahead

07 – Rosco Gordon – Wise To You Baby

08 – Hank Willians – Your Cheatin' Heart

09 – Bill Halley & His Comets – Crazy man, Crazy

10 – Billy Ward & The Dominoes – These Foolish Things

11 – Big Mama Thornton – Hound Dog

12 – Earl Johnson – Beggin' At Your Mercy

13 – Fats Domino – Mardis Gras In New Orleans

14 – Joe Turner – Honey Hush

15 – Joe Turner & His Blue Kings – TV Mama

16 – Billy Ward & The Dominoes – Can't do Sixty No More

17 – Earl Johnson – Have You Gone Crazy

18 – Bill Halley & His Comets – Fractured

19 – Joe Turner & His Blue Kings – Oke-She-Moke-She-Bop

20 – Joe Turner – Crawdad Hole

 

Comments (1)

rafa said

at 4:37 pm on Jun 29, 2008

respeitei.

You don't have permission to comment on this page.