| 
  • If you are citizen of an European Union member nation, you may not use this service unless you are at least 16 years old.

  • Stop wasting time looking for files and revisions. Connect your Gmail, DriveDropbox, and Slack accounts and in less than 2 minutes, Dokkio will automatically organize all your file attachments. Learn more and claim your free account.

View
 

História

Page history last edited by Dow Osage 6 years, 11 months ago

A Poplist é a melhor e mais antiga lista de discussão brasileira sobre a cena alternativa/independente. Criada em 1998 pelo publicitário e escritor gaúcho André Takeda, referência da literatura na Internet, precursor do tribo emo, autor de "Clube dos Corações Solitários", e líder da resistência antidublagem dentro das dependências do império do magnata Rupert J. Fox, que lhe manda um email de felicitações natalinas assinado manualmente, todo mês de maio. Numa época anterior ao site e-groups (que se tornaria, mais tarde, o Yahoogroups), pessoas de lugares diferentes do país - do mundo, quiçá talvez todavia inclusive fora dele - começaram a trocar idéias sobre música e cultura em geral através de emails, entupindo caixas postais de desavisados por esporte. Naquele tempo, a lista ficava hospedada num servidor em Porto Alegre, pertencentes a monges bispos budistas cegos e mórmons, a Opensite.

 

O espaço virtual, aos poucos, começou a reunir o que se tornaria, mais tarde, a atual cena da música independente do país. Bandas como Cansei de Ser Sexy, Wry, PELVs, Grenade, MQN, Hurtmold, Walverdes, Autoramas, Los Hermanos, Bidê ou Balde, Cidadão Instigado, Nação Zumbi, Vanguart, Bonde das Impostora, CPM 22, Pitty e Bonde do Rolê, escritores como o próprio Takeda, Clarah Averbuck e André Czarnobai (Cardoso), agitadores noturnos como Flavia Durante, Erika Palomino, Gaía Passarelli, Gui Peligro, Debbie Cassano, Mitkus, Milo, Vegas, Clash, Inferno, CB e Berlin, além de personalidades de mídia como Carla Perez, Soninha, Thiago Ney, Zeca Camargo, Astrid Fontenelle, Luana Piovani, Alexandre Petillo, Fábio Massari, Alexandre Matias, Narcisa Tamborindeguy, Perez Hilton, Lúcio Ribeiro, Vesgo e Sílvio todos foram poplisters. Num fim de noite no festival Mada, em Natal, Fabrício Nobre fez um dos melhores resumos da importância da lista. "Quem imaginou que 10 anos depois, teriamos uma associação brasileira dos festivais independentes, eu seria o presidente, estaria tocando no Acre junto com o Mini [Walverdes] e o Dago fazendo cobertura para a rede fechada da Globo para o programa do site de MP3 da gravadora do filho da Elis Regina?". Talvez o Finatti.

 

Alguns teorizam que o conceito de "espiar" usado no Big Brother foi criado por Pedro Bial na época que ele era Lurker da Poplist. Outro levante de carreiras creditados à lista foi o da Cuca, que decidiu sair da MTV quando entrou em contato com a cena pós-punk-pré-newrave após se aventurar a em excursão de bandas dos poplisters que começavam a tocar fora de casa pela primeira vez. Alguns integrantes quarentões começaram a rever seu histórico pessoal quando uma horda de novatos nascidos em 1996 (o ano de Odelay) e perceberam que começaram a postar em listas de discussão quando estes novatos ainda mandavam emails uns para os outros nas próprias fraldas. Um tentou o suicídio, mas o nó era cego e a Fra havia mandado um RSS com um link no YouTube pra uma cena exclusiva da terceira temporada de Lost: um olho em primeiro plano.

 

Foi quando o vocalista do Grenade pediu palmas para as drogas. E então criou-se o CLAP!, e os poplisters viram que era bom.

 

 

Recent Visitors

Comments (0)

You don't have permission to comment on this page.